O que é uma cultura Data-Driven

É a uma cultura organizacional orientada a dados, mentalidade de uma empresa como um todo, que coloca os dados na base da tomada de decisão de uma empresa.

As empresas que possuem em seus métodos essa particularidade, as as áreas compartilham entre si quaisquer dados, e as tomadas de decisões passam somente a serem baseadas em dados e fatos concretos.

A precisão na leitura e correta interpretação dos dados é o que faz com que o time da empresa seja capaz de entregar valor em seus registros, é aqui que percebemos que a cultura data-driven foi implementada com sucesso, pois os dados são os ativos mais valiosos do negócio.

Meio óbvio porém necessário deixar claro que, os investimentos são justificáveis em soluções de analytics, BI (Business Intelligence), inteligência artificial e tecnologias para transformar grandes volumes de dados em ideias para as tomadas de decisões nas estratégias de negócios, o Big Data está à frente da gestão dos dados.

Vale lembrar que se faz necessário dar acesso a esses dados, todas as áreas que precisam fazer uso desse ativo da empresa para traçar estratégias, esse se torna o maior capital empresarial.

Sendo assim as tomadas de decisões são mais assertivas, promovem vantagem estratégica e competitiva para escalar todos os níveis do negócio, as áreas de Decisões Analíticas projetam um novo patamar ao BI.

Cultura Data-Driven x Estrutura Data-Driven


Uma das partes mais importantes é o conhecimento, é preciso garantir que todos os envolvidos tenham acesso a cultura e orientados nas tecnologia e que a mentalidade data-driven seja prática diária em todos os níveis da organização, desde os diretores ao pessoal administrativo e operacional.

A mentalidade data-driven é questão comportamental, o técnico e estratégico se devem ao hábito comum de todos, que as pessoas absorvam essa cultura e os dados sejam o DNA do negócio, a empresa precisa ir além da tecnologia e ter uma visão holística do uso de dados.

Cliente: o foco nele é o objeto da Cultura Data-Driven

A cultura data-driven se faz poderosa quando a jornada do cliente passa por todas as áreas, desde a qualificação de leads, às prospecções, pré-vendas, implementação, atendimento ao cliente, administrativo, logística, o todo, saber entregar exatamente o que o cliente quer e como quer. a empresa que atua focada no cliente, sabe qual o caminho que o consumidor percorre até fechar o negócio e como as equipes podem agir para conquistá-lo em cada etapa.

Com todas as áreas integralmente explorando as oportunidades que os dados proporcionam, os times entregam com sucesso uma experiência eficaz aos clientes em todos os pontos de contato — desde a prospecção até o pós-venda. 

Hacks ao se estruturar a cultura Data-Driven na sua empresa

Não se engane, leva tempo, é preciso ter paciência e resiliência, exige mudanças comportamentais, estratégicas e estruturais na sua empresa, vamos lá, veja os hacks para começar o processo no seu negócio.

Estruturação de dados 

Para começar é preciso estruturar os dados na sua empresa e implementar soluções para coletar, armazenar, processar e interpretar as informações, o desafio é conectar diferentes fontes de dados (CRM, PDV, ERP, NPS e etc.) e logo após operar ferramentas capazes de cruzar todos ao mesmo tempo e gerenciar plataformas de gestão de dados e softwares de BI.

Sabemos da importância da segurança, integridade e qualidade das informações para manter e proteger os dados do negócio, buscar formatos tornar as informações claras e acessíveis.

Garantia de acesso aos dados

Quando todos os colaboradores envolvidos conseguem acessar os dados de forma rápida e eficaz é que podemos dizer que funciona com sucesso, sabemos da relevância em investir nas soluções e ferramentas que facilitam o uso dos dados e oferecem a visualização de dashboards e gráficos amigáveis, é importante ter em mente o conceito de “self service BI”, que consiste na praticidade de acesso aos dados com interfaces intuitivas, de modo que qualquer colaborador consiga “se servir” de dados no sistema.

Constante aprendizado

Evolução contínua, hoje chamada de “Requalificação” alcunha em voga atualmente no mundo dos negócios, que nada mais é que qualificar o time técnico para entender e operar os novos formatos de das novas tecnologias, vale ressaltar que, é muito mais caro contratar outros profissionais para substituir os atuais do que capacitá-los. A capacitação dos times faz com que se aproveite ao máximo o potencial de domínio sobre as tecnologias na obtenção de extração de dados. 

Assim sendo todos os profissionais conseguem ter visão orientada aos negócios pois a tecnologia será aliada na obtenção de clareza, visão empreendedora é necessária.

Indicadores de agilidade

Gestores de alta performance são menos burocráticos, menos hierárquicos, mais rápidos, mais dinâmicos e flexíveis, orientam seus times a serem o mesmo, assim garante-se uma metodologia ágil, assim se aplica a cultura data-driven no seu negócio.

Metodologias como Scrum (gestão ágil e iterativa de projetos) e Lean (gestão enxuta), se compartilhar mais cultura e conhecimento entre os times, mais prático para tomar decisões em tempo real e de fato colocar os dados no centro dos projetos.

A disruptura dos métodos tradicionais reintegram todas as áreas do negócio, permitindo visão 360 graus dos dados.

Liderança Data-Driven

Como em quaisquer papéis centrais, precisam inspirar, agir, engajar todos os liderados a seguirem na cultura data driven para que as pessoas mudem seus hábitos e adotem novos métodos de trabalho, é preciso dar o exemplo para mostrar que o esforço vale a pena e traz muitas oportunidades de evolução profissional.

É papel do líder mostrar o exemplo de como as decisões pautadas em dados podem impulsionar o crescimento do negócio e a carreira de cada um dos profissionais do time. A cultura data-driven é a essência das empresas que colocam os dados para orientar uma da tomada de decisão, significa a base para justificar quaisquer tomadas de decisões e ações.

A empresa que tem o DNA data-driven, são empoderadas e utilizam de forma muito mais inteligente pois compartilham entre si a visão analítica do negócio.

Data-Driven é o futuro

A cultura data-driven é uma revolução inevitável dentro das empresas, já que os dados são a base para a construção do futuro dos negócios. 

De acordo com as previsões da Gartner, 90% das estratégias de negócios serão baseadas em dados até 2022, deixando para trás os modelos tradicionais de gestão e processos analógicos. 

Essa direção fica ainda mais clara quando analisamos a quantidade gigantesca de dados produzidos, armazenados e compartilhados a cada segundo. 

Segundo o estudo “Data Age 2025 — The Digitalization of the World”, publicado pela consultoria IDC, a produção de dados deve crescer 61% até 2025, chegando ao impressionante número de 175 zettabytes (cada zettabyte equivale a mais de 1 trilhão de gigabytes).

Ou seja: as empresas que souberem extrair valor desses dados e tomarem a frente da transformação digital deixarão seus concorrentes para trás. 

De acordo com a pesquisa BARC’s BI Trend Monitor 2020, que investiga as tendências do mundo do BI (Business Intelligence), “criar uma cultura data-driven” é uma das três grandes prioridades para os profissionais da área no mundo todo, junto à gestão de dados mestres e visualização de dados.

Além disso, um estudo realizado pela PwC em 2016 e publicado pelo Google mostra que as empresas que adotam uma cultura data-driven triplicam sua eficiência na tomada de decisão. 

São razões suficientes para acreditar em um futuro data-driven e construir essa cultura desde já, preparando a empresa para um mercado orientado a dados.

Recommended Posts