Quem trabalha com email marketing sabe que existem fatores que auxiliam para que seja de fato efetivo, talvez o problema não seja a mensagem e sim a entrega dela, para evitar isso é importante estar atento a um fator essencial no email marketing: a entregabilidade. Hoje falaremos como garantir que o seu email seja entregue.

Você usa toda sua criatividade, escreve um ótimo artigo, cria aquela peça bacana para seu email marketing e percebe que as taxas de engajamento não estão boas … Como explicar isso? Calma, a gente está aqui para isso, orientar você, vamos lá?

O que é a taxa de entrega no email marketing?

A taxa de entrega é a quantidade de emails que chegam ao destinatário, seu cliente, lead, fornecedor, enfim, a sua base de cadastros, a taxa está ligada diretamente aos emails que efetivamente chegaram na caixa de entrada do cliente, um exemplo clássico, se você tem 100 emails e realiza um disparo, se todos receberem, você terá uma taxa de entrega de 100%, cenário perfeito … Mas não é bem assim, explicamos, veja a seguir.

Na prática não é bem assim que funciona, entre o botão de enviar e o clique de abertura do cliente, podem ocorrer inúmeras situações que diminuem suas taxas de entrega. A boa notícia é que grande parte desses problemas você pode evitar, aqui alguns dos erros mais comuns estão:

  • Digitação errada do endereço de email;
  • Banco de dados desatualizado, contas de email inexistentes;
  • SpamTraps, Emails identificados como SPAM pelos Provedores;
  • Compra de lista de emails com endereços de errados ou antigos;
  • Email com perfil Rolebased emails, caixas postais de departamento;
  • Caixas de entradas lotadas, desativadas, suspensas.

Existem também dois pontos básicos que se não estiverem alinhados serão motivos para que seus emails não tenham uma boa taxa de abertura e clique, como a qualidade da lista de contatos, qualidade do seu servidor, e claro, a reputação do seu domínio, saber como evitar os erros é mais importante do que saber quais são os erros, fazer com que seus emails tenham uma boa taxa de entrega é prevenir quaisquer situações, por isso algumas dicas devem ser seguidas:

1 – Os emails estão certos?

Você realizou uma boa prospecção, conseguiu inúmeros emails, e por isso deve ter certeza de que estão corretos, lembre-se de conferir se nenhum está duplicado, caso contrário serão chances desperdiçadas, envie um email e acompanhe se a entrega será efetiva, tenha certeza de que aquele email é realmente confiável.

2 – Construa uma lista de emails confiável

Saiba construir uma lista de emails, prospecte clientes e convide-os a deixar o seu mailing a qualquer momento, sempre ofereça algo em troca, informações, algum conteúdo relevante, se for corporativo ofereça um ebook, se for varejo oferte uma promoção, aprenda a utilizar as ferramentas para a captação de emails. 

3 – Não compre listas de emails!

Essa atitude é a maneira mais rápida e fácil de ir a lugar nenhum, comprar listas de emails é problema, uma dor de cabeça, você não sabe a origem da aquisição, quem são aquelas pessoas e elas não sabem quem é você, é disso que se trata! Não são emails conquistados de forma orgânica, mas emails aleatórios que você não faz ideia de onde surgiram, muito provável que suas mensagens serão classificadas como SPAM e irem diretamente à lixeira.

Mais vale 100 contatos confiáveis e que tenham sido incorporados consensualmente do que 1000 que você não sabe e tão pouco sabem de sua empresa desconhece, ninguém consegue de cara uma lista enorme e super engajada. Além disso, pode ser frustrante ver que as taxas de abertura e outros números não estão correspondendo às suas expectativas.

4 – Email marketing, taxa de entrega, Erros (Bounces)

Todos querem que suas mensagens atinjam seu público algo, seja sobre um produto, um serviço ou apenas uma carta de Boas-vindas, nestes casos existem métricas específicas que devem ser monitoradas mais de perto para saber se tudo está ocorrendo conforme planejado.

As taxas de entrega se dividem em duas partes, as com sucesso e as de erro. Os resultados vem dos retornos dos provedores no momento do seu envio e pode levar de 24 a 48 horas para obter esta resposta.

Você já deve ter ouvido falar em “bouces”, do tipo “hard bounce” e “soft bounce”, certo? Essas pequenas palavras fazem parte das principais métricas para medir a qualidade das listas de envio de campanhas. Bounce nada mais é do que um “erro/problema”, existem duas classificações:

  • hard bounce, erro definitivo;
  • soft bounce, falha pontual, brando, um tipo de alerta.

hard bounce ocorre quando um email não existe mais, foi válido porém neste momento o provedor está retornando que ele deixou de existir, quanto mais erros deste tipo ocorrem, mais difícil será a entrega da sua campanha, correndo o risco de seu domínio ser qualificado como spammer, direcionando as mensagens para a pasta de spam automaticamente ou simplesmente serem retidas no provedor do cliente, esta situação deve ser evitada a todo custo.

Já o soft bounce é um problema pontual, possíveis causas vão desde uma caixa postal cheia, caixa suspensa, falhas técnicas de entrega por parte dos datacenters, não é o caso de excluir estes contatos de imediato, vale a pena efetuar uma ou duas tentativas posteriores e ver se o problema persiste, porém se persistir, exclua, não insista.

O “bounce” determina a taxa de sucesso de entrega das campanhas por email ao provedor de destino (gmail, hotmail, yahoo ou qualquer outro identificado depois do “@”), praticamente todas as plataformas de email marketing possuem um controle automatizado para identificar os retornos dos provedores e remover efetivamente os contatos de novas seleções em novas campanhas, busque saber mais.

Para evitar grandes transtornos avalie a possibilidade de usar uma ferramenta validadora de emails, se não os conhece nos chame que a podemos explicar mais a respeito, esse tipo de ferramenta ajuda a identificar, demarcar e separar o que você pode usar ou não de contatos em suas listas.

5 – As armadilhas, os tenebrosos spamtraps

A maior dor de cabeça vem com os emails armadilhas – spamtraps – pois como o nome diz, servem para monitorar quem está disparando as comunicações, é avaliado e monitorado se há uma conexão prévia, uma autorização de interação. Muitas empresas criam emails falsos e jogam no mercado com este intuito, muitos dos provedores gratuitos reaproveitam caixas postais abandonadas e as reutilizam com este mesmo propósito, os termos técnicos para essas finalidades são “pristine” e “recycle” (reciclados).

Mas como eu faço para me livrar destes emails?

Uma boa gestão de dados, é preciso criar processo que se torne constante, efetuar a gestão da lista de contatos, higienizar os e-mails, segmentar previamente para enviar as comunicações apenas para os contatos mais novos, aqueles com até 3 dias de cadastrados e contatos que engajaram em até 30 ou 60 dias, esta ação visa separar os contatos não engajados e que, por prática, refletem o spamtrap por ser uma caixa postam que apenas recebe os emails, sem qualquer interação, cliques em suas peças.

6 – SPF, saiba como configurar

Toda boa plataforma oferece a opção para configurar o SPF (Sender Policy Framework) de sua conta e aumentar a taxa de entrega. A questão é simples, quando configurar as regras de SPF do seu domínio, os provedores serão informados que a sua conta está autorizado a enviar emails em nome do seu domínio. Essa autorização evita que o email caia na caixa de lixo eletrônico ou seja taxado como SPAM, o que aumenta a taxa de entrega na caixa de entrada.

Na prática essas dicas servirão para aumentar consideravelmente sua taxa de entrega e, por consequência as aberturas e cliques, tenha em mente que sua estratégia de envios vai ser executada com segurança, seriedade e com melhores resultados.

Agora que você aprendeu algumas dicas de email marketing, que tal experimentar nossos serviços para te auxiliar em suas campanhas?

Recommended Posts